Tropeiros Trópicos – Forró Red Light

musica eletronica brasilia

Tropeiros Trópicos – Forró Red Light

O Brasil brasileiro não é a praia, não é violão da bossa nova ou os hipsters querendo dar uma de europeus. A verdade é áspera e se existe um artista de música eletrônica que dialoga com o conceito modernista de “comer e vomitar” é o Forró Red Light.

Pontos, sons e levadas que não deveriam se misturar, andam de mãos dadas. Na verdade, não juntos, mas conectados a força por pura eletricidade que juntam uma 909 em uma pista de areia com doses de cana que celebram o fato de estarmos vivos. “Tropeiros Tropicos” é sobre longas distâncias andadas a pé por brasileiros reais, aqueles que construiram esta nação. Pessoas esquecidas que não recebem bom dia, pessoas que tem sonhos de uma vida melhor em lugares distantes.

Diretamente de Brasília, Geninho Nacanoa e Ramiro Galas fazem o folclore real, e este EP é uma colisão do espírito modernista e o tradicional, exatamente como a cidade de onde eles vem, onde o futuro é cercado por uma periferia zero baleárica.

Forró Red Light é o som da confusão.

Tropeiros Trópicos é pensado na conotação da ampliação dos sentido que ganha a imagética de quem for ver. Quando formos dizer Tropeiros Trópicos vamos lançando no ar a provocação, de decodificação dos signos. Na fonética a idéia é abrir o sentido para a percepção de um trote, do galope de um cavalo. E para o entendimento da semantica está embutido o duplo sentido também. Na significação que a princípio, pode ser entendida como esse contraste de ser um Tropeiro da região dos Trópicos, um símbolo desse sertão da região central, desses Geraes místicos, das profundas matas e ribeirões, que traz em sua história essa dialética de pertencer a um povo esquecido, a uma região de tantas riquezas ameaçadas e ainda inexploradas, em um país que é reconhecido quase que exclusivamente, em todo mundo por suas características geográficas litorâneas, e seu povo tropicalíssimo, de praia, samba e carnaval.

Junto também com esse sentido semântico implícito se junta a possibilidade da interpretação de serem tropeiros trupicando, embriagados. Brasileiros de vida simples, de baixa renda. Sem garantias, segurança ou certezas, mas sempre fortes, indo em frente. Viajantes em suas vidas de aventureiros mas sem recursos. Cidadãos sem direitos ou garantias. Mão de obra barata, trabalhadores explorados, cansados mas resilientes com seus sonhos e sua fé levando a vida e sua tropa. Seguindo… A trilha e seus destinos 😉 

Posted in

Equipe TUNTISTUN

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

× Como posso te ajudar?