Phyl R conta sua história de amor à música e ao cenário local.

Phyl R conta sua história de amor à música e ao cenário local.

Phil R moldou um gosto musical permeado de house, techno e drum & bass. Aos 19 entrou de cabeça nas cabines e não parou mais. Ele assina a realização da Spacetime e do Rolê no Bosque e hoje vamos conversar sobre tudo isso.

TUNTISTUN: E aí Phyl R, tudo bem? Primeiro que é uma satisfação imensa bater esse papo com você, que é um cara que eu admiro muito na cidade, que sempre me divirto quando te encontro na noite.

PHYL R: Satisfação é minha pelo convite!

TUNTISTUN: Vamos falar um pouco do início, como foi sua infância? Nasceu aqui mesmo?

Sou natural de Caxias-MA. Minha infância foi dividida entre escola, jogar bola, bola de gude e soltando pipa na rua o dia inteiro. rsrs

TUNTISTUN: O que você escutava antes de escutar música eletrônica?

Minha família por parte de Mãe é nordestina e de Pai mineira, fui criado em BSB então ouvia da cultura nordestina até os rocks anos 80, 90 e etc

phyl r

TUNTISTUN: Como descobriu a música eletrônica?

Através de um amigo cujo o irmão é DJ morávamos na mesma rua e ali nasceu o amor pela e-music

TUNTISTUN: Quais foram suas primeiras festas que te abriram os olhos?

A Laboratório e a Love Parade

TUNTISTUN: Mostra para gente 5 músicas que você curtia bem no seu início?

Robin S – Show Me Love

Kings of Tomorrow – Finally (Original Extended Mix)

Starsailor – Four To The Floor (Thin White Duke Mix)

Sebastian Leger – Jaguar [Original Mix]

South street players – Who? Keeps Changing Your Mind (2010 remixes)

TUNTISTUN: E quando você decidiu ser Dj? Como foi esse caminho?

Quando comecei a procurar as músicas que ou ouvia nas festas. Ainda adolescente na rua em que eu morava eu e os amigos alugávamos uma CDJ 100s e passávamos uns 3 dias seguidos tentando mixar as músicas. A gente tinha a ajuda do irmão de um deles que ensinou algumas coisas pra nós, depois comecei a conhecer outros Djs, fazendo amizades na música e as coisas fluíram.

musica eletronica brasilia

TUNTISTUN: Você é responsável por um evento que a galera respeita muito, o Rolê no bosque no Gama. Conta um pouco da história do evento aí, quem já passou por lá, estilos que tocam?

O Rolê no Bosque nasceu porque eu e alguns amigos Djs gostaríamos de ter um rolê na nossa cidade que pudéssemos tocar o som que a gente acredita e mostrar isso pra uma galera que não tem acesso até porque as festas da cidade rolam sons mais comerciais algo que eu por exemplo não me encaixo nos padrões entretanto a única festa que toco na minha cidade atualmente é o Rolê No Bosque. Obs: Não tenho nada contra e respeito quem faz tal trabalho porém não me identifico com sons muito populares na música eletrônica por isso criei o meu rolê!!

TUNTISTUN: E como é fazer um rolê descentralizado, é um evento importante para a região também?

É correria, preocupante e muito satisfatório. É importante demais, já ouvi pessoas que moram em Brasília (centro) virem a convite de outras pessoas e amar o rolê e a cidade pessoas essas que não sabiam nem para que lado do DF era localizado o Gama, já ouvi gente dizer que tinha uma visão totalmente periférica e violenta do Gama e que isso mudou completamente após conhecerem o Rolê. Além disso fazemos uma trampo social no qual já ajudamos inúmeras famílias, isso é foda pra mim!

musica eletronica brasilia

TUNTISTUN: O Gama tem tradição em ter grandes DJs, quem do Gama você recomendaria?

Realmente eu não tenho o que reclamar da minha escola e tenho muito orgulho de ter aprendido muita coisa com os Djs daqui. Recomendaria Allan Blue, Matheus Cruz (Truecall) e Neural.

TUNTISTUN: E quais são as dificuldades encontradas para realizar o rolê do bosque? Tem muita burocracia da administração?

A dificuldade maior é a grana, sempre tiramos grana do bolso para o Rolê acontecer, só temos 1 empresário da cidade e parceiro fiel que ajuda com um valor simbólico o resto é nós por nós e nós pelo povo. Quando se trata de evento seja ele qual for, a burocracia é real oficial porém a gente “tira leite de pedra”…rsrsr

TUNTISTUN: Acha que a administração local entende os aspectos de benefícios sócio-econômicos em beneficiar a cultura na cidade?

Em outra vida talvez entenderiam.

musica eletronica brasilia

TUNTISTUN: E Djs novatos de toda a cidade tem alguém aí que você acha que devemos ter atenção?

Dj Zubiro

TUNTISTUN: O que você acha da energia da pista de Brasília?

Única, principalmente das festas de rua.

TUNTISTUN: Quais seus planos pós pandemia?

Fazer um Rolê No Bosque urgente

TUNTISTUN: E o que você acha que vai acontecer depois da pandemia com a cena local?

A esperança é a tal da vacina, caso contrário será como já está acontecendo: Reiventar-se!

TUNTISTUN: E você pode mostrar para gente 5 músicas mais recentes que tem escutado?

Monochrom – Atropos

Delta Funktionen – Black Endlessness

M.A.N.D.Y. vs Booka Shade feat. Laurie Anderson – O Superman (SIS Remix)

Cabanne – MrGB

Dj Aakmael – Jazz Piece 2

Posted in

DJ Oblongui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

× Como posso te ajudar?